PCH Paracambi realiza resgate de fauna e ictiofauna

O nome é estranho, mas a ação, fundamental. Ictiofauna é o conjunto das espécies de peixes que existem numa determinada bacia hidrográfica. No dia 20 de setembro, durante a 4ª Fase do Desvio do Ribeirão das Lajes, a equipe de biólogos da PCH Paracambi colocou em ação o plano de regaste de Ictiofauna e de fauna na área diretamente afetada com a formação do reservatório.

O trabalho é fundamental para minimizar os impactos sobre a fauna terrestre local e resgatar animais que foram afetados com a elevação do nível das águas. Já o resgate da ictiofauna devolveu ao leito do Ribeirão das Lajes os peixes que ficaram aprisionados com a formação de poças de água isoladas.

Porém, este trabalho não foi uma ação isolada para a realização da 4ªfase do desvio do rio. A equipe da PCH Paracambi fez em terra o levantamento de todos os animais do entorno do empreendimento. Houve ainda o monitoramento dos peixes, as espécies que vivem nas águas do Ribeirão das Lajes foram catalogadas. “Esse histórico é importante para que se tenha uma análise comparativa de como o empreendimento influenciará a vida no rio”, afirma coordenador ambiental da PCH Paracambi, o biólogo Flávio Durão, que está à frente de todo o trabalho de monitaramento e resgate de fauna e ictiofauna realizado até o momento.

De acorodo com Durão, em junho, foi realizado o último monitoramento que identificou 30 espécies no Ribeirão das Lajes. “O levantamento é feito no período chuvoso, em março, e no seco, em junho. A mesma ação será repetida em 2012, quando a usina já estará operando”, explica o biólogo.

Equipe de resgate de ictiofauna em ação no dia 20 de setembro.
Peixes retidos em poções d'água foram devolvidos ao leito do rio pela equipe de resgate de ictiofauna.
Peixes retidos em poções d’água foram devolvidos ao leito do rio pela equipe de resgate de ictiofauna.