A hora e a vez da mão de obra local

Os 170 alunos dos cursos profissionalizantes promovidos pela Pequena Central Hidrelétrica – PCH Paracambi – receberam seus diplomas de Armador de Ferragem, Carpinteiro de Forma, Pedreiro Polivalente, Soldador Eletrodo Revestido e Soldador Mig Mag. Na medida em que surjam oportunidades, a prioridade nas futuras contratações da Quebec, empresa de engenharia responsável pela construção do empreendimento, serão os novos profissionais,  moradores do entorno da usina. Outros 200 trabalhadores foram selecionados para participarem de palestras sobre Saúde, Meio Ambiente e Segurança (SMS) e também farão parte da estratégia de contratação de mão de obra local.

A cerimônia de formatura aconteceu dia 04 de dezembro, no Grêmio Recreativo Esportivo Social de Paracambi (Gresp). Os diplomas foram entregues pelo prefeito de Paracambi, Tarciso Pessoa; pelo secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Leonardo Toledo; pelo diretor do Cetepis Brasil, instituição de ensino responsável pela aplicação do curso, Fabio Oliveira; pelo gerente Ambiental da PCH, Adalto Gomes; e pelo gerente Técnico da PCH, Marcelo Barbosa.

De acordo com o prefeito Tarciso, o desemprego na cidade é conseqüência da carência de ofertas. “É uma questão de oportunidade; se for dada, os moradores aproveitam”, garantiu Tarciso, que destacou ainda a importância do diploma. “Muitos profissionais têm capacidade, mas não têm certificado. Para a conquista de um emprego formal, é necessário o diploma que comprove a qualificação.” Quanto à iniciativa da Light, de capacitar a mão de obra local, o prefeito classificou com um momento histórico para o município.  “Paracambi vive a perspectiva da chegada de novos investimentos. A PCH faz parte deste movimento. A cidade está vivendo um momento histórico.”

Para o secretário Leonardo Toledo, a PCH Paracambi é um capítulo a parte na questão do desenvolvimento de Paracambi.  “Essa parceria com a Lightger servirá de exemplo para a prefeitura firmar acordos com outras empresas que se instalarão no município, sempre com o objetivo da capacitação e contratação da mão de obra local”, afirmou Toledo.

Para o diretor do Centro de Tecnologia Educacional Profissionalizante de Inclusão Social do Brasil (Cetepis Brasil), Fábio Oliveira, a formação profissional adquirida nos cursos oferecidos pela PCH Paracambi deve garantir boas oportunidades. “Por conta dos eventos esportivos que serão sediados no estado, o Rio de Janeiro se tornará um grande canteiro de obras nos próximos anos. Quem tiver um diploma de armador, carpinteiro, pedreiro, soldador, sai na frente. A empregabilidade deles está garantida”, ressalta o diretor do Cetepis Brasil.

“Melhor ainda do que me capacitar e trabalhar na minha cidade”

Porém, melhor que garantir uma formação profissional que seja sinônimo de boas oportunidades, é conseguir isto na terra natal. È o que espera o soldador de eletrodo recém-formado pelo curso da PCH Paracambi Rafael Santana, 23 anos. “Retornei há um ano de São Paulo na esperança de conseguir emprego perto da minha família. Melhor ainda que me capacitar é trabalhar na minha cidade”, afirma Rafael.

O mesmo desejo tem Vitor César Delgado, 33 anos, que nos últimos anos já morou em Betim e Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais. Já no estado de São Paulo, entre capital e interior, Vitor trabalhou em Taboão da Serra, Guarulhos, Tatuapé, Santo André, São Bernardo, Taubaté, Caraguatatuba e Caçapava. Ano passado, após perder o contato com a mãe por oito meses, Vitor recebeu um telefone de dona Terezinha convocando o filho a voltar para cidade natal. “Ela disse: volta pra casa amanhã, com ou sem emprego você não sai mais de Paracambi”, conta Vitor.

PCH Paracambi ajudou Vítor a ficar perto da família

E a PCH Paracambi tem ajudado a manter Vitor perto da dona Teresinha. Há oito meses, ele trabalha como motorista da equipe de arqueólogos da Arquetec, empresa que presta serviço para a PCH Paracambi, inclusive, paralelamente, já concluiu um curso de Assistente de Arqueologia. “Cheguei e fiquei seis meses desempregado. Já estava desanimado quando surgiu o convite da Arquetec. Ainda consegui uma outra vaga para o meu irmão”, comemora Vitor, que não desperdiça nenhuma oportunidade dada pela PCH Paracambi. Ele acaba de concluir o curso de carpinteiro de forma. “Se precisarem de mim, já estou qualificado”, argumenta Vitor, agora motorista e carpinteiro.

 

Alunos exibem os diplomas. Na primeira fila, o prefeito Tarciso Pessoa (segundo a direita), e o gerente ambiental da PCH, Adalto Gomes (terceiro à esquerda) posam com formandos
Público assiste à apresentação do vídeo da PCH Paracambi
Tarciso Pessoa, prefeito de Paracambi (direita), entrega diploma
Leonardo Toledo, secretário de Desenvolvimento Econômico de Paracambi (direita), entrega diploma
Paulo Junior, coordenador do Cetepis (direita), entrega diploma
Fábio Ferreira, diretor do Cetepis (direita), entrega diploma